O que você procura no blog?

O melhor lugar para encontrar serviços e informações. Simples, eficiente e rápido.

populares Jornal, Manaus, Durango Duarte, Blog do Durango
1 de fevereiro de 2015 às 09:30.

Movimento da Discórdia Baré (MDB)

“QUERO DESMASCARAR MÁRIO FROTA”

A afirmação é do deputado Samuel Peixoto, ex-MDB, que acrescentou: “é um poltrão, cabotino, traidor da oposição e adesista mascarado”.

“Ao me referir ao Mário Frota, eu sempre o considerei um mentiroso, que é mais fácil de alcançar do que um coxo. Provei que ele sempre foi um mentiroso. Agora, com provas incontestáveis vou provar ao povo amazonense que ele é, ainda, poltrão, cabotino, traidor da oposição, adesista mascarado e outros adjetivos desagradáveis, porém reais. Vou provar o que digo”.

Com essa declaração, o deputado Samuel Peixoto, iniciou, ontem, uma entrevista à imprensa, para mostrar o resultado de uma interpelação judicial que fez um jornal local, sobre o colunista “Eça de Assis”, para processar esse “gazetilheiro” por difamação e injúria.

FROTA É O EÇA

“Com essa interpelação judicial – salientou Samuel – tive a oportunidade a desmascarar esse libertino, com provas que não podem ser desmentidas. Antes, todavia, vou destacar alguns trechos da representação, assinada pelo meu advogado o deputado Francisco Queiroz:

“O matutino “A Crítica” de há muito vem dando à estampa uma pluma, sob a epígrafe “Críticas na Política”, de responsabilidade de Eça de Assis, que assina, fazendo os mais variados comentários em derredor de pessoas e fatos, especialmente do Estado do Amazonas”.

“Não se trata, de nome real, porque não existe, nos círculos políticos ou jornalísticos, nenhuma pessoa, nem mesmo entre os últimos forasteiros despejados em nossas praias pelos gares da fortuna, com nome referido acima: tudo indica que se trata de pseudônimo, que é uma forma disfarçada do anonimato condenável, sobretudo quando a direção do órgão da imprensa não cumpre o disposto no parágrafo quarto, do artigo 7º da atual Lei da Imprensa”.

“Há mais de um mês, o referido gazetilheiro, que é tido como jornalista, foi entregue agora à tarefa de promover certo deputado federal, conhecido pelas suas aleivosias contra os colegas de Partido, vem usando a sua pena, escondido sob o pseudônimo de Eça de Assis, contra o deputado Samuel Peixoto, divulgando palavras, expressões e conceitos ofensivos à sua honra, caracterizando os delitos de difamação e injúria, previstos na Lei de Imprensa”.

RESPOSTA CONFIRMA: FROTA É SAFADO

“A resposta dessa interpelação deverá envergonhar, mais uma vez, o Amazonas: “A Crítica

“Informou à Justiça que a identidade de Eça de Assis é José Mário Frota Moreira, além de informar que não têm o livro de pseudônimos. Eis, aqui, então o lacaio, o cabotino, o traidor, o poltrão e o adesista mascarado.”

“Mário Frota é lacaio porque serve para tudo, com um servilismo desesperado que cheira à falta de vergonha e personalidade própria de uma irracionalidade criada por interesses pessoais gananciosos, e complicada pela falta de capacidade. É um marionete nauseabundo, sem condições morais para chamar ninguém de lacaio, como faz, recentemente, a todos os políticos oposicionistas do Amazonas”.

“É um poltrão, porque envergonha o Amazonas, escondendo-se atrás de um pseudônimo, apesar de ser deputado federal, para atacar os seus próprios companheiros de Partido, revelando que não tem condições morais, ou de qualquer outra natureza, para criticar de forma direta. E todo lacaio, como vemos, é um covarde por excelência, capaz de se esconder nos estercos e esgotos”.

ADESISTA MASCARADO

“E o que é mais grave – enfatizou – é que a resposta à interpelação mostra, sem sombra de dúvidas, que Frota, além de poltrão e traidor, é um adesista mascarado, porque se utiliza desse pseudônimo, e da coluna que vergonhosamente tem sob sua responsabilidade, para elogiar o Governo e os homens da situação, transformando o prefeito José Fernandes em “alcaide” e tecendo loas ao Governador do Estado. É um autêntico cabotino. Basta ver as edições de “Críticas na A Crítica” para se confirmar as provas”.

COORDENADOR DE QUÊ?

“E um indivíduo dessa estirpe, desprovido de personalidade e transformado em “Bode Cheiroso”, ainda tem a coragem de tentar coordenar um partido. Como é que pode? Nem mesmo Cristo conseguiria unir Mário Frota às inúmeras vítimas de seus ataques soezes e inqualificáveis, praticados sob o manto covarde de um pseudônimo. Nem o presidente da República, com todos os seus atos de exceção, conseguirá unir esse deputado às pessoas – sobretudo políticos – que ele acusou venalmente, destratou irresponsavelmente, agrediu injustificadamente, prejudicou velhacamente”.

“Basta ver o comportamento torpe com que se conduz nos aliciamentos de políticos, mentindo descaradamente, comprometendo-se com Deus e o diabo, num esforço desesperado de cumprir a sua missão de servir como instrumento de terceiros menos escrupulosos que ele.

E há um agravante a esse descaramento: o cabotismo esconde-se sob esse pseudônimo e sob a imunidade  de seu mandato parlamentar. É covarde duas vezes. Ele sabe que, mesmo que lhe tirem a máscara, como o próprio jornal “A Crítica” fez, dificilmente o Congresso Nacional, a quem envergonha, concederá autorização para que seja processado. Haverá um dia, entretanto, em que esse cafajeste perderá essa imunidade”.

SE QUISER MAIS PROVAS

“Creio que essa interpelação judicial define o caráter vergonhoso e hediondo de Mário Frota. Todos os políticos amazonenses, agora, não terão mais dúvidas sobre isso. Caiu a máscara e ficou clara a situação, diminuindo, também as possibilidades de sua atuação maléfica.

Quero ver se esse elemento tem coragem de me contestar. Se ele quiser, mostro-lhe todos os elogios ao governo e às autoridades, todas as infâmias e as ofensas aos seus companheiros. E que não me venha com meias palavras, com ditos não ditos. Quero vê-lo alegar que o “Eça de Assis” é outro”.

Transcrição do Jornal A Notícia de 25 de janeiro de 1980, p. 11.

Comentários