O que você procura no blog?

O melhor lugar para encontrar serviços e informações. Simples, eficiente e rápido.

populares Jornal, Manaus, Durango Duarte, Blog do Durango
29 de janeiro de 2015 às 13:00.

Série Histórica das Eleições de 1976

compartilhar

AQUINO TAXA BANCADA DO MDB DE COMUNISTA E DE TRAIDORA

MARCO ANTONIO SAI ESCOLTADO DA ASSEMBLEIA

A sessão de ontem do Legislativo amazonense esteve bastante agitada em face do comportamento do deputado José Costa de Aquino, que assomando à tribuna do Movimento Democrático Brasileiro, taxou sua bancada de “comunista e traidora”.

REVOLTA TOTAL

A revolta do parlamentar emedebista iniciou-se com uma publicação na imprensa que denunciava ter José de Aquino elogiado o Governador Henoch Reis para conseguir passagem a fim de divulgar suas criações artísticas em algumas capitais do Brasil, tendo Aquino atribuído a autoria da matéria ao jornalista Mário Antônio.

PÉ DE GUERRA 

Desde as primeiras horas antes de iniciar os trabalhos na Assembleia que se notava no plenário  e nas galerias da ALE, um clima tenso entre o deputado Aquino e o jornalista Mário Antônio. Os jornalistas que se encontravam na bancada do plenário do Legislativo amazonense escutaram quando o deputado Aquino, por várias vezes, ao passar defronte à bancada da imprensa, onde estava também Mário Antônio, dizia textualmente “comunista e (impublicável)”. Enquanto o parlamentar atacava o jornalista com palavras obscenas, este limitava-se apenas em se calar diante das ofensas que lhes eram impostas.

SESSÃO SUSPENSA

Na ocasião em que o deputado Aquino iniciou seu pronunciamento contra Mário Antônio usando termos agressivos o deputado Gláucio Bentes Gonçalves, (ARENA), que presidia os trabalhos, pediu ao deputado Aquino que usasse termos regimentais, tendo se obstinado, gritando em alta voz que Mário Antônio era um “traidor do MDB e comunista”. Diante disso para não tumultuar mais a sessão, Gláucio suspendeu os trabalhos por cinco minutos.

Reiniciados os trabalhos, Gláucio voltou a solicitar ao deputado Aquino que não fugisse à ética parlamentar quando se pronunciasse da tribuna da Assembleia, oportunidade em que Aquino, gritou que “a bancada do MDB era traidora e comunista”, porque lhe negava apoio para dar razão ao Jornalista Mário Antônio, tendo o líder do Movimento Democrático Brasileiro, o deputado Paulo Sampaio afirmando à presidência que proibia o deputado Aquino de continuar usando termos antirregimentais.

QUEBRA-QUEBRA

Diante da posição tomada contra seu pronunciamento, o deputado Aquino pegou um cinzeiro e depois de quebra-lo na bancada, jogou-o próximo aos deputados Paulo Sampaio e Aloísio Oliveira. O mesmo acontecendo com uma taça em que fora servida água mineral. Após isso, o parlamentar sempre taxando sua bancada de “traidora e comunista” e chorando foi levado para fora do plenário por um repórter. Antes do parlamentar retirar-se do plenário recebeu apoio total de seu irmão Raimundo Aquino, que afirmava “não faça isso meu irmão e joga Mário Antônio contra a Justiça”, tendo Aquino respondido: “Não te mete neste assunto, porque é meu”.

POSIÇÃO DO MDB

Por outro lado, o líder do MDB, deputado Paulo Sampaio afirmou ao J.C. que, diante da rebelada de Aquino vai reunir sua bancada a fim da decisão da medida a ser tomada pelo MDB contra o deputado Aquino e Mário Antônio. Para tanto, Sampaio aguarda somente a chegada dos deputados José Cardoso e Natanael Bento Rodrigues.

Transcrição do Jornal do Commercio de 06 de outubro de 1976, p. 04.

Comentários