20 de dezembro de 2015 às 10:00.

Fortalecimento de parceria com China pode impulsionar economia da América Latina, afirma CEPAL

compartilhar

A desaceleração do crescimento do PIB da América Latina aprofundou-se e é esperado que o mesmo seja negativo em 2015, de acordo com o relatório Perspectiva Econômica da América Latina 2016.

A evolução da participação da China nas cadeias de valor global latino-americanas tem sido notável e ultrapassou, até mesmo, as participações intrarregionais: entre 2000 e 2011, a participação intrarregional nas exportações da região (backward linkages) cresceu de 5% a 9%, enquanto que a participação da China aumentou de 1% para 11%. Atualmente, a China é o maior parceiro comercial do Brasil, Chile e Peru.

Comentários

error: Conteúdo de propriedade de Durango Duarte, protegido contra cópia.