27 de janeiro de 2015 às 09:30.

Série Especial – Movimento da Discórdia Baré (MDB)

compartilhar

BERNARDO CABRAL CHEGOU AFIRMANDO QUE ESTÁ COM ARTHUR E NÃO ABRE

Desembarcando, ontem, no Aeroporto Eduardo Gomes, vindo do Rio de Janeiro, onde exerce a função de secretário-geral do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, o ex-deputado federal Bernardo Cabral declarou a nossa reportagem que, embora a sua preocupação maior, hoje em dia, seja o trabalho na OAB, é homem intimamente vinculado na atuação política de Arthur Virgílio Neto, que considera a maior esperança do Amazonas.

Bernardo Cabral, que em 1969 teve o seu mandato cassado e os direitos políticos suspensos por 10 anos, está hoje apto a retornar à política do Amazonas, Estado onde sempre desempenhou importante papel, seja como articulador de extrema habilidade ou como parlamentar atuante ou administrador probo e criativo. Assegura ele, porém, que não disputa cargos antes de consultar os seus companheiros e o povo em geral, de vez que considera pertencer ao povo todos os cargos políticos. Afirmou Bernardo textualmente, que seu interesse maior é reforçar a luta de seus companheiros leais.

Perguntado sobre a possibilidade de ser formado o PTB, Cabral declarou acreditar nisso, em função das articulações que estão sendo efetuadas, tanto pelo ex-governador Brizola, quanto pela corrente liderada pelo ex-governador amazonense Gilberto Mestrinho e pela ex-deputada Ivete Vargas.

Indagado sobre a disputa pelo comando partidário do PMDB do Amazonas, envolvendo o grupo liderado por Arthur Virgílio Neto, em contraposição àquele comandado pelo vereador Fábio Lucena, asseverou Bernardo Cabral que: “Não há opção a fazer. Não tenho porque optar, estou, isto sim, decidido pelo lado de Arthur Virgílio Neto, cujo comportamento politico merece todo o meu respeito. Além do mais, há o lado da amizade a completar o quadro, pois sou amigo de Arthur e padrinho de seu filho Arthur Virgílio Bisneto. Em Arthur Virgílio Neto admiro, ao mesmo tempo, o homem e o politico, sem sombra de dúvidas a melhor perspectiva política que se pode desenhar para o Amazonas”.

Finalizando, Bernardo Cabral dirigiu a seguinte mensagem ao povo amazonense: “Que continue sendo sábio, sabendo encontrar naqueles homens públicos que sempre deram o melhor dos seus esforços pelo engrandecimento da terá, aquilo que todos nós amazonenses sempre sonhamos: dias melhores. A minha mensagem séria está: que o povo do Amazonas não acredite em bondade que se vendem nem caridade que se compram e que continue sendo o que é: autêntico, independente e sem medo de votar nos que têm mensagem política a oferecer.”

Transcrição do Jornal A Crítica de 23 de janeiro de 1980, p. 07.

Comentários

error: Conteúdo de propriedade de Durango Duarte, protegido contra cópia.