16 de maio de 2022 às 09:27.

Como os gigantes da tecnologia ganham seus milhões?

compartilhar

Um recente artigo publicado na Visual Capitalist buscou responder à pergunta deste título. Afinal, como Apple, Amazon, Google (Alphabet), Meta e Microsoft faturam seus bilhões? 

Somente no ano de 2021, as cinco gigantes geraram uma receita combinada de US$ 1,4 trilhão. Quais são as fontes dessa receita? Acompanhe a seguir.

Decompondo os fluxos de receita

Basicamente, existem duas formas principais para geração de receita das gigantes da tecnologia: 

  • Elas vendem o produto para você
  • Ou vendem você como um produto para anunciantes

Seguindo o Visual Capitalist, Apple, Amazon e Microsoft se encaixam na primeira opção, como a maioria das empresas tradicionais. Elas vendem produtos. Sendo assim, mais da metade da receita da Apple vem da venda de iPhones, serviços de nuvem geram quase um terço para a Microsoft e a Amazon fatura quase 50% apenas com suas lojas online.

Por outro lado, Google (Alphabet) e Meta fazem parte da segunda categoria. Elas não vendem um produto real, mas ganham a maior parte de seu dinheiro vendendo a “atenção” do público. Quase 98% da receita da Meta vem de anúncios do Facebook. Já o Google faz sua receita com 81% através da publicidade em seus produtos.

Apesar das diferenças na forma de gerar suas vendas, as cinco empresas têm algo em comum: todas dispararam as receitas nos últimos anos.

Crescimento acelerado na pandemia

Na contramão da economia geral, na qual vários setores vêm encontrando dificuldades para manter as finanças, as cinco gigantes conseguiram ter um aumento significativo em suas receitas.

Em 2019 (antes da pandemia), a receita combinada das empresas cresceu 12%. Já em 2020, esse aumento foi de 19%, tornando-se 27% em 2021.

Isso aconteceu porque, com as restrições e isolamento social, as pessoas foram forçadas a fazer compras online, contribuindo para o crescimento do comércio eletrônico.

Atualmente, com a diminuição das restrições causadas pela pandemia, o mundo tem voltado à “normalidade”. 

Mas é fato que esse período gerou mudanças permanentes no comportamento do consumidor e nas tendências de consumo. 

Então, pode-se imaginar que o crescimento das empresas de tecnologia deve continuar. 

(Fonte: Visual Capitalist, tradução livre)

Comentários