5 de julho de 2018 às 10:15.

Eleições 2018 poderão ter recorde de alienação eleitoral

compartilhar

De acordo com relatório de cenários políticos de julho de 2018 da Arko Advice sobre a sucessão presidencial, desde 2006 há um crescimento nacional do que os especialistas estão denominando Alienação Eleitoral, que é a soma da abstenção mais os votos brancos e nulos.

Para a Arko, empresa brasiliense de análise política, estratégia e public affairs, dois fatores são preponderantes para que isso aconteça: o interesse cada vez menor de uma parcela importante do eleitorado pela política e a desilusão com a política, alavancada pelos escândalos de corrupção revelados pelas investigações da Lava Jato.

Trazendo isso para a nossa realidade regional, fiz um gráfico evolutivo sobre os votos brancos, nulos e a abstenção nas eleições para governador do Amazonas desde 1990 até a eleição suplementar de 2017.

Como podemos observar, em 1994 e 1998, esse percentual alcançou picos de 41% e 40,2%, respectivamente, depois teve uma queda acentuada para 23,7% em 2006, e voltou a crescer de 2014 para 2017, saltando de 26,2% para 36,3%.

E ao que tudo indica, as eleições de 2018 poderão ter uma alienação eleitoral recorde no Amazonas, acima dos 41% de 1994.

Alienação Eleitoral

Fonte: Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Comentários

error: Conteúdo de propriedade de Durango Duarte, protegido contra cópia.